Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Banquete

A República de Platão é o livro mais conhecido do filósofo grego. Contudo, em "O Banquete", também conhecido como Simpósio, Platão vai discutir as naturezas do amor e da alma.

A Educação está como o Governo: a degradar-se severamente. E há ainda quem se comporte como se fosse inimputável político!

26.09.23 | Servido por José Manuel Alho

Alunos e professores com computadores bloqueados e sem acesso à Internet

z.jpg

Imagem Freepik

Os computadores entregues a alunos e professores estão a ficar gradualmente bloqueados assim como há estudantes e docentes a deixar de ter acesso à internet, revelou a Associação Nacional de Professores de Informática.

Eficácia dos manuais digitais começa a ser questionada e há países a recuar

13.09.23 | Servido por José Manuel Alho

1.jpg

Imagem Freepik

"Eficácia dos manuais digitais começa a ser questionada e há países a recuar
Resultados de vários estudos apresentados na conferência Book 2.0 ajudam-nos a reflectir sobre como melhorar a literacia infantil e a aprendizagem na sala de aula em tempos desafiadores."

In jornal PÚBLICO

Noticia AQUI



Tão previsível quanto óbvio. Por exemplo, no caso concreto dos petizes do 1.° Ciclo, entendo que a otimização dos recursos digitais deverá ser feita com prudente moderação e intencionalidade, sob pena de um dia destes as nossas crianças não saberem comunicar com a letra manuscrita ou, simplesmente, não conseguirem assinar meros documentos pessoais. Defendo que a incursão pelo digital deverá, sempre, concretizar-se numa lógica de complementaridade, recusando ousadias não testadas e, por isso, ainda por avaliar em toda a sua extensão e impacto(s).


Em alguns casos, já se cometeram verdadeiras atrocidades. O voluntarismo impensado, animado pelo impulso, com o propósito de ser "modern@" ou de agradar futilmente, tem caracterizado algumas experiências digitais que se revela(ra)m perniciosas.


O recuo, melhor, o regresso ao básico, sem hostilizar o digital, que deve ser integrado de forma proporcionada, acontecerá com naturalidade. Em Portugal, demorará (mais) tempo.

No Ensino, precisaríamos de um pacto de estabilidade para, pelo menos, meia década.
Dever-se-ia aplicar o princípio da estabilidade de políticas, de procedimentos burocráticos e de orientações tutelares.

O princípio da estabilidade traz previsibilidade e rotina, que são securizantes. Na política. Na Justiça. Na Saúde. Por maioria de razão, também na Educação. Professores, Alunos e Famílias - não necessariamente por esta ordem - anseiam por estabilidade, previsibilidade e rotina(s). Há que devolver-lhes a segurança de que precisam para, em cada momento, sacar o melhor de cada um destes protagonistas.